Notícia postada em, 26 de Dezembro
Olhar para trás, nunca mais!
 
TEXTO BÍBLICO: Génesis 19:1-26

Pastores Nuno e Suely Lage
Dos membros do nosso corpo, os olhos são certamente aqueles a quem nós damos uma maior importância. O próprio Senhor Jesus nos diz em
Mateus 6:22 “A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz” (Mateus 6:22). Mas ter uma boa visão não nos garante a melhor direcção. Sabemos que durante a nossa peregrinação aqui na terra, devemos viver o presente pensando no futuro. Mas existem momentos na vida, em nós mesmo sendo servos de Deus, somos tentados a olhar para trás. E muitas vezes esse olhar para trás pode significar o nosso passado ou algo que nós fisicamente já deixamos, mas ainda o carregamos em nossos corações.

Você lembra-se de alguém na Bíblia que olhou para trás? O Senhor Jesus em Lucas 17:32 disse: “Lembrem-se da mulher de Ló!”. Você nunca se questionou porque é que Jesus nos exortou a lembrar da mulher de Ló? Jesus quer que a lembremos porque Ele não quer que o meu e o teu futuro se assemelhem com o dela. Como fruto da desobediência, ao olhar para trás, a mulher de Ló transformou-se em uma estátua. Ela estagnou por completo, e muitos hoje se encontram como estátuas, estagnados em várias áreas da sua vida.

Olhar para trás também nos desqualifica no que diz respeito ao reino de Deus, como diz Lucas 9:62: “Ninguém que põe a mão no arado e olha para trás é apto para o reino de Deus.”. A Bíblia não nos fala nos motivos que levaram a mulher de Ló a olhar para trás, no entanto iremos enumerar alguns motivos, os quais hoje têem levado várias pessoas, inclusive homens e mulheres que amam a Deus, a olhar para trás.

1- O PECADO

Ló vivia numa cidade pecaminosa e idólatra. Tanto ele como a sua família, conviviam de perto com o pecado, embora ele fosse um homem justo. Talvez o motivo que levou a mulher de Ló a olhar para trás foi a falta de vontade de viver longe do pecado. Conviver de perto com o pecado é um erro, tanto que Paulo aconselhou Timóteo a “fugir” (ler II Timóteo 2:22).

Ao aceitarmos Jesus como nosso Senhor e Salvador, os nossos pecados foram perdoados e nos tornamos filhos de Deus. Mas esse acontecimento não nos livra das tentações que surgem diariamente. É necessário lutar contra os desejos da carne. Para isso precisamos alimentar o nosso espírito diariamente, através da oração e da Palavra de Deus. Não podemos brincar com o pecado.

Infelizmente, muitos depois de um longo período ao lado de Jesus, caiem no erro de deixarem de alimentar o seu espírito com aquilo que é de Deus, e aos poucos a carne vai tomando o domínio nas suas vidas, ao ponto de olharem para trás e desejarem o pecado de novo. Alguns podem até dizer que não matam, não roubam e não se prostituem. Mas quem disse que não existem mais pecados além desses? A Bíblia nos fala a respeito de vários deles. Pecados esses que se têem introduzido no nosso meio, tais como o pecado da religiosidade, a falta de perdão para com aqueles que caiem no pecado, difamação e acusações entre os irmãos, orgulho e até a glutonaria (tudo que é excesso para o nosso corpo é pecado inclusive a comida).

Meus queridos, se formos tentados a olhar para trás, ou seja voltar para o pecado, devemos resistir e manter os nossos olhos fixos em Jesus e Ele nos dará o escape. Não deixe que o pecado o transforme em uma “estátua”.

2 - SEGURANÇA NOS BENS MATERIAIS

Talvez o motivo que levou a mulher de Ló a olhar para trás, foi os seus bens, a sua casa, os seus móveis, as suas roupas… Hoje muitos olham para trás, chegando mesmo a abandonar Jesus em troca da segurança que os bens matérias, dinheiro ou fama lhes dão. A segurança deles não está em Jesus, mas sim naquilo que possuem ou no título que alcançaram.

Outros dizem que para seguir a Jesus, devemos nos livrar dos bens materiais e do dinheiro, como se ambos fossem algo diabólico e nos impedissem de alcançar reino dos céus. A Bíblia nos diz o contrário em I Timóteo 6:10, não é o dinheiro a raiz de todos os males, mas o “amor” ao dinheiro, ou seja a segurança que depositamos nele.

O Deus a quem nós servimos é um Deus de prosperidade, o qual deseja que o seu povo seja próspero. Quem deseja a prosperidade que vem de Deus, não pode ter o coração preso naquilo que possui, mas deve ter um coração disposto a dar. E dar não somente para a obra de Deus, mas dispor-se a abençoar também a vida dos seus familiares, irmãos em Cristo, amigos e até mesmo a desconhecidos.

Estando há já vários anos na igreja, tenho observado que aqueles que têem pouco, são aqueles que passam o tempo todo pedindo. São os crentes tipo “se me dão”. Em contrapartida, aqueles que têem um coração desprendido e disposto a dar, Deus os tem feito prosperar ainda mais, porque a melhor coisa é dar do que receber (ler Actos 20:35b).

Queridos, não sejamos como “estátuas”, mudemos o nosso discurso e paremos de fixar os nossos olhos naquilo que possuímos e olhemos para aquele que nos tem capacitado a alcançar aquilo que já conquistamos e iremos conquistar.

3 - AS LEMBRANÇAS DO PASSADO

Ao abandonar a cidade, a mulher de Ló poderá ter sido impulsionada a olhar para trás por causa das lembranças vividas naquela cidade. Conheço muitas pessoas que vivem o presente pensando no passado. Eu próprio já o fiz. Houve momentos em que fiquei como “estátua” diante de situações que aconteceram no passado. Se pudéssemos dividir o passado, certamente o dividiríamos em duas partes: Lembranças más e lembranças boas.

Lembranças más:

São todas aquelas que nos marcaram pela negativa, a morte de um ente querido, uma traição, divórcio, humilhação, violação, rejeição, abandono, desemprego, miséria ou enfermidade. Muitos ficam presos a essas lembranças porque teimam em não perdoar, abrindo brechas para Satanás agir nas suas vidas, não só emocionalmente mas também fisicamente. Vivem como “estátuas” relembrando essas situações. Permita que o Senhor passe com o bálsamo de cura sobre essas feridas, sê curado(a) e desfruta da vida plena em Cristo Jesus.

Existem também aqueles que ficam presos no passado por aquilo que não fizeram, pelas oportunidades que deixaram escapar. Meus queridos, não é tarde, disponham-se a recuperar o tempo perdido e Deus será convosco.

Lembranças boas:

São todas aquelas que nos marcaram pela positiva, como por exemplo, o casamento, o nascimento de um filho, a compra da casa própria, a formatura, o emprego desejado, os sonhos alcançados, o chamado para o ministério, o facto de ter sido usado por Deus no passado. Se Deus te usou no passado, o desejo dEle é usar-te ainda mais no presente, ainda que tu digas que o teu tempo já passou.

Não é que essas lembranças não sejam boas, mas existem aqueles que passam o tempo todo relembrando o que de bom aconteceu no passado, impedindo algo maior e melhor no presente. Relembram com saudades o passado deixando de viver o presente, tornando-se em “estátuas saudosistas”.

No que diz respeito a igreja, creio plenamente que a glória da última casa será maior do que a primeira (ler Ageu 2:9a). Como igreja do Senhor Jesus Cristo, não podemos ficar presos, olhando para os movimentos e milagres do passado. Nós precisamos de algo novo hoje! Lembra-te, melhor é o fim das coisas dos que o princípio delas.

CONCLUSÃO:

Que possamos nos “lembrar da mulher de Ló”, para evitarmos o mesmo fim que ela teve. O acto dela, foi um acto de desobediência. A ordem era para sair da cidade e não olhar para trás. Só que ela olhou e o fim dela foi trágico, transformando-se em uma estátua. A ordem do Senhor para nós hoje é: NÃO OLHES PARA TRÁS!

Não sei para onde você tem olhado, mas o escritor de Hebreus nos indica a direcção correcta quando no capítulo 12, versículo 2 nos diz: “Olhando para Jesus, autor e consumador da fé…”. Seja qual for a situação, OLHE PARA JESUS! E não se esqueça, OLHAR PARA TRÁS, NUNCA MAIS!

Pr. Nuno Lage, IPRP em Castelo Branco