Notícia postada em, 30 de Dezembro
Terminando Bem... Começando Bem
 

AMADO IRMÃO, AMADA IRMÃ

Como está a ser para você o término de 2013 e o começo de 2014?

Cada um de nós pode dizer neste final de 2013 o que Paulo disse no fim da sua vida: "Combati o bom combate, terminei a carreira (de 2013), guardei a fé"? (2 Tm. 4:7)

DESAFIO

É este um momento de desafio a que cada um faça um retrospeto interior visando deixar para trás tudo que o impediu de combater o bom combate e aproximar-se mais de Deus em 2013, por exemplo, explosões de ira, palavras rudes, mágoas, decisões precipitadas, negligência à oração e ao tempo diário de qualidade com Deus, com a família, murmuração, todo e qualquer tipo de pecado; e ao mesmo tempo detetarmos o que devemos transitar para 2014, ou seja, tudo o que nos levou para mais perto de Deus, para maior intimidade com Ele, como atos de amor e compaixão, investimento em missões, atitudes de quem combateu bem os combates da vida e preservou a fé, integridade, relacionamento diário de qualidade com Deus e Sua Palavra, com a família e o próximo, a rejeição ao pecado de tal forma que todo pensamento e ações fossem trazidos cativos à obediência de Cristo (2 Co. 10:5).

ALVO

Após esse exame cuidadoso tomemos como alvo para 2014, O ANO DA  VIRADA,  as palavras de Hebreus 12:1,2a:  “… deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está propostaolhando para Jesus, autor e consumador da fé,…”

Assim, detectemos o que deve ser deixado para trás em 2013 e o que deve ser transitado para 2014.

Há um capítulo inesquecível da minha vida (Loide) que marcou o término daquele ano e o ano seguinte desde o seu início, o qual foi um ano de VIRADA.

AQUELE ANO ...

No final de 1970 eu terminava o curso bíblico teológico no Seminário. Aquele tinha sido um ano tremendo, meu sonho de completar esse curso para servir ao Senhor a tempo inteiro estava sendo concretizado; havia muito a agradece-lO, mas também muita espectativa para o ano que se aproximava.

MEU SONHO

Eu estava então com 20 anos de idade, amava ao Senhor, tinha sido consagrada a Ele por minha preciosa mãe como dízimo da família. Era um privilégio ser missionária, porém para completar o meu alvo de servir ao Senhor full-time eu tinha um sonho para o ano seguinte – 1971: eu desejava casar-me e casar com alguém que tivesse o mesmo sonho e chamado de Deus.

Alguns meses antes da minha formatura percebi que em meu coração despertava uma atração especial por um rapaz que tinha sido colega meu no seminário; tínhamos tido uma amizade à distância até porque ele era de outra turma e terminou seu curso um ano antes de mim.

Em princípio aquele sentimento pareceu-me utópico e algo da minha cabeça. Fiz como Maria, guardei-o unicamente no meu coração.

FICA OU VAI?

O ano de 1970 chegava ao fim, deveria eu por fim a esse sentimento também, deixa-lo ficar para trás? Ou deveria transita-lo comigo para 1971 e vê-lo como um o pequeno começo para a realização de um grande sonho?

Na verdade, mesmo que tudo parecesse improvável nos paradigmas da minha cabeça, no meu coração aquela chama do amor continuava acesa. Morávamos em cidades diferentes e não tínhamos qualquer contato fosse por carta, telefone ou qualquer outro meio.

Porém … Deus não está limitado ao espaço como nós. Aleluia!

AQUELE DIA ...

No dia 23 de janeiro/1971 foi-me escrita uma carta que guardo até hoje, e que  revolucionaria para sempre a minha vida. Lembro-me como agora. Eu estava caminhando em uma rua de Astorga (Brasil) em direção à casa quando abri e comecei a ler a carta que acabava de receber. Viera com endereço errado porque não tinham a minha direção, mas providencialmente chegou às minhas mãos.

À medida que lia fui sentindo um impacto único que jamais sentira! O conteúdo dizia que ‘aquele rapaz’ estava interessado em mim e gostaria de falar comigo. Lembro-me que, em estado de choque e uma alegria indizível como podem imaginar, parei por alguns instantes, encostei-me ao muro lateral da rua, reli cada palavra, senti-me maravilhada com Deus!

Respondi a carta de forma discreta e resumida marcando uma data em que eu estaria disponível para conversarmos em casa dos meus pais. Permaneci em oração e jejum enquanto aguardava o desfecho de Deus.

Após pouco mais de um mês, no dia 2 de março, nos encontramos em casa dos meus pais, conversamos, oramos juntos e começamos a namorar.

O SONHO SE TORNA REAL

Passados 4 meses, no dia 10 de julho do mesmo ano, se concretizava o maior desejo do meu coração para 1971: o meu casamento.

Casei-me com o homem dos meus sonhos, Pr. Leopoldo P. Mota, o qual já era pastor na altura a servia a Deus a tempo inteiro, tal como eu desejava.

Estamos casados há  42 anos combatendo juntos o bom combate, conservando a nossa fé até findar a nossa carreira.

 

Precioso irmão, preciosa irmã que lê esta mensagem, receba agora a graça de Deus sobre a sua vida para terminar bem 2013 e abraçar o brilhante 2014 que Ele tem reservado para você!

“Mas, como está escrito: as coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam.” 1 Coríntios 2:9.

FELIZ 2014!!!

 

Um abraço com amor e carinho

Prs Leopoldo e Loide Pereira